Crónica ESC 2017: "Salvador: aquele que mesmo sem querer ganhou a Eurovisão!"


Resultado de imagem para salvador sobral eurovisao

Confesso que esta crónica demorou um pouco a ser escrita. Talvez porque ainda não consigo acreditar na vitória portuguesa, ou então porque as emoções que envolveram este ano a Eurovisão foram um pouco contraditórias para mim.

Comecemos então pelo início. Desde cedo que comecei a acompanhar, de forma bastante demarcada, a edição deste ano. Desde as finais nacionais, algumas com bastante interesse, até à concepção do próprio palco. Segui a par e passo cada desenvolvimento que tudo isto foi tendo.

Aqui irei falar das representações sobre cada país, e não sobre cada artista – distanciando-me do meu gosto pessoal. 

Dando inicio as hostilidades, demarco a ausência da Rússia no certame. Mais do que qualquer política, qualquer ideologia, qualquer religião, a Eurovisão é pautada pela aceitação e valorização das diferenças, e nunca pelo controlo apertado de politicas que não vão ao encontro dos direitos e vontades individuais. Por isso, ainda agora me custa aceitar que tal facto tenha acontecido, e que a EBU tenha aceitado este desfecho. Espero, assim, que existam penalizações e que se leve sempre o certame para países em que as politicas não se sobreponham aos valores do evento.

Resultado de imagem para julia samoylova eurovisao

Foram largas as horas em que ouvi cada atuação, cada melhoramento feito, cada melodia alterada e encaixada aos gostos do publico eurovisivo. Continuo a achar que a Eurovisão é e sempre será mais do que fogo de artifício, roupas espampanantes, personagens exuberantes, ou até mesmo figuras tristes. A Eurovisão é mais do que o próprio evento que todos vêem – e por isso custa-me ler tanta asneira que é dita e escrita por pessoas que só agora começaram a acompanhar tudo isto.

Antes que se fale de algo, temos de ter conhecimento. Por isso não falem nos artistas de antigamente, no “pimba” que está tornado o evento. Informem-se, e não matem a Eurovisão por tudo aquilo que ela não é.

Seguindo. Foram muitos os países que desfilaram pelo palco este ano. Destaco algumas boas surpresas. A Bulgária apresentou-se mais forte do que nunca - gosto da aposta que têm feito nos últimos anos e na evolução que têm vindo a ter desde o ano de 2005. Se antes apostavam em representar-se, agora apostam em vencer. 

Também não poderei ficar indiferente à canção italiana - aquela que sempre foi apresentada como vencedora desta edição. Com uma sonoridade bastante alegre e com uma energia muito positiva, rapidamente cativou todos aqueles que ouviam o tema - e com isto ocupou o lugar cimeiro em todas as casas de apostas. Infelizmente, assim como já aconteceu em vários anos, acabou por ficar aquém das expectativas.

Outros países que não poderia deixar de falar e que acabaram por não se apresentar na final são a Geórgia, a Suíça, a Finlândia, a Islândia e a Malta. Apesar de estilos bastante diferentes e diferenciados, ambas as composições estavam muito bem conseguidas. Com vozes muito boas, confesso que me custou não ver estas atuações aquando da final deste ano da Eurovisão. Mas é sempre assim e para nós, fãs, é sempre frustrante não vermos passar quem tem potencialidade, em detrimento de outras canções que nunca esperamos ver a sua passagem. Finalizando este ponto, posso dizer que a maior injustiça foi mesmo cometida com a Finlândia - e nem sei como isto foi acontecer.





Resultado de imagem para timebelle eurovision 2017

Quanto à organização, não tenho muito a tecer. Acho que foi das organizações mais fracas. Sinceramente não gostei do palco e os planos de imagem foram péssimos. No que concerne aos grafismos houve um desleixo enorme, nada de especial comparativamente a anos anteriores.

Não foi uma das edições mais fortes - e isso não resta dúvida. Este ano será daqueles anos que muitos temas acabarão esquecidos, daqueles anos em que as canções não deixaram muita marca e em que as atuações foram bastante fracas em palco.

Resultado de imagem para stage eurovision 2017

E sem desejar alongar-me mais, quero terminar a minha crónica falando sobre o vencedor. Pode ser injusto falar sobre o meu próprio país, ou então nem sei o que dizer porque não contava tão cedo poder falar sobre isto desta forma.

É sentir orgulho. Acima de tudo, isto é sentir orgulho. Pela primeira vez, em tantos anos, vi Portugal parar de novo para assistir à Eurovisão. Vi Portugal acreditar. Vi Portugal torcer.

Se há tempos duvidei quando a RTP disse que iria mudar tudo e reestruturar o festival para o fazer renascer, agora vi que o esforço foi compensado e que FINALMENTE vimos como podemos vencer. Apostar em algo simples por vezes compensa, certo?



Agora resta-me comemorar. E não somente agradecer ao Salvador, agradecer e muito à Luísa, que carregou muito este barco às costas, que sempre acreditou, que limpou as lágrimas e que assumiu o controlo de tudo. Isto, para mim, são atos heróicos que devem ficar na memória. Mais do que se gostamos ou não do tema, é apoiarmos aquilo que temos de melhor em Portugal: a Cultura.

Por isso só espero que isto não seja sol de pouca dura. Espero que as pessoas vejam que a vida não é só futebol, que existem pessoas fantásticas a cantar em Portugal ou fora dele e que jamais precisamos que alguém ganhe o Eurofestival para só depois ser conhecido e reconhecido!


Para o ano cá nos encontramos, em PORTUGAL!
Sejam bem-vindos!

Imagens: Esctoday, Metro e Eurovision/Vídeos: Crónicas de Eurofestivais e Eurovision Song Contest





Sem comentários


Não é permitido:

. Publicar comentários de teor comercial ou enviar spam;

. Publicar ou divulgar conteúdo pornográfico;

. O uso de linguagem ofensiva ou racista, ou a publicação de conteúdo calunioso, abusivo, fraudulento ou que invada a privacidade de outrem;

. Desrespeitar o trabalho realizado pelos colaboradores do presente blogue ou os comentários de outros utilizadores do mesmo - por tal subentende-se, criticar destrutivamente ou satirizar as publicações;

. Divulgar informações sobre atividades ilegais ou que incitem o crime.

Reserva-se o direito de não serem publicados comentários que desrespeitem estas regras.

Com tecnologia do Blogger.