Featured Slide

5/slideshow/custom

França:informações do Destination Eurovision divulgadas

por dezembro 11, 2017

A emissora francesa France 2 divulgou algumas informações acerca do Destination Eurovision, seletiva francesa que servirá para eleger o tema representante de França no Festival Eurovisão da Canção (ESC) 2018.

Foi durante um comunicado à imprensa que a emissora divulgou informações acerca da seleção nacional francesa, algo inédito no país nos últimos anos de competição. 

Segundo o comunicado, 18 temas irão ser distribuídos por duas semifinais, das quais se irão apurar 8 canções, 4 de cada semifinal, que vão disputar o bilhete para Lisboa na final do concurso. 

A decisão dos finalistas irá ser responsabilidade de um painel de jurados, com nomes sonantes no mundo eurovisivo, tais como Christer Björkman e Amir. 

A França estreou-se no Festival Eurovisão da Canção em 1956 e já ganhou cinco vezes: em 1958, com André Claveau e a canção "Dors, mon amour", em 1960, com Jacqueline Boyer e a canção "Tom Pillibi", em 1962, com Isabelle Aubret e a canção "Un premier amour", em 1969, com Frida Boccara e a canção "Un jour, un enfant", e em 1977, com Marie Myriam e a canção "L'oiseau et l'enfant". Em 2017 o país foi representado por Alma e a canção "Requiem", alcançando o 12º lugar na final com um total de 135 pontos.

Recorde a atuação de Alma:



Fonte: esctoday/Imagem: pleinevie/Vídeo: eurovision song contest

ESC 2018: Austrália já escolheu representante

por dezembro 11, 2017

A SBS, estação pública australiana, já escolheu o representante da Austrália para viajar até Portugal, no próximo ano para representar o país no Festival Eurovisão da Canção (ESC).

Será Jessica Mauboy quem defenderá as cores da bandeira australiana na próxima edição do Festival Eurovisão da Canção que acontecerá em maio de 2018, em Portugal. A cantora foi escolhida internamente pela estação pública australiana para representar o país na sua quarta participação no concurso. 

A Austrália torna-se assim o sexto país a revelar o representante para a próxima edição do concurso europeu, seguindo os passos da Áustria, Holanda, Azerbaijão, Bélgica e Finlândia, que também já escolheram os seus representantes. 

Jessica não pisa o palco do ESC pela primeira vez. A artista foi convidada na edição de 2014, quando o concurso teve lugar em Copenhaga, Dinamarca, a cantar, como Interval Act, ficando marcada na história, como a primeira "representante não europeia" a fazer uma participação no concurso. Nessa edição, Jessica interpretou "Sea of flags", uma homenagem ao país da cantora, de forma particular, ao povo indígena, pois a cantora possui raízes indígenas através da sua mãe. 

Veja em baixo a participação de Jessica no ESC 2014:


A Austrália é atualmente o país mais distante do continente europeu a participar no Festival Eurovisão da Canção. Em 2018 fará a sua quarta participação consecutiva desde que se estreou no eurofestival, em 2015. 
Na edição passada do evento, em 2017, o país foi representado por Isaiah, com a canção "Don't come easy", tendo alcançado o nono lugar na final do concurso, com 173 pontos. 

Recorde em baixo a participação da Australia no ESC 2017:


Fonte: ESC Today / Vídeos: Eurovision

São Marino: Giovanni Montalbano vence o segundo wildcard do 1 in 360

por dezembro 11, 2017

Já é conhecido o vencedor do segundo wildcard do 1 in 360, o método de seleção de São Marino para a Eurovisão 2018. Giovanni Montalbano, candidato italiano, recolheu 390 mil votos.

Está desvendado mais um vencedor do wildcard na corrida à representação de São Marino no Festival Eurovisão da Canção (ESC) 2018. Desta vez, a vitória caí sobre o candidato italiano Giovanni Montalbano que, durante o período de 1 a 10 de dezembro, conseguiu receber quase um total de 390 mil votos no vídeo da sua candidatura. Este é o nome que agora se junta a Emma Sandström, a vencedora do primeiro wildcard deste processo de escolha.


Contudo, o método de votação desta seletiva, e o facto de vários candidatos terem recebido um elevado número de votos, com destaque para dois artistas com um total de votos superior aos 300 mil, tem levado os fãs a questionar a legitimidade deste processo. A companhia por detrás do 1 in 360 já emitiu um comunicado sobre o mesmo, como pode recordar [AQUI].

O terceiro wilcard da competição será entregue a um candidato natural de São Marino, sendo que existe a possibilidade de que Anita Simoncini, representante do país na Eurovisão 2015, seja a potencial apurada. As restantes sete vagas serão escolhidas pela RTV de entre os candidatos que submeteram candidaturas. O vencedor representa o micro-estado de São Marino na Eurovisão 2018, em Lisboa.

São Marino estreou-se no Festival Eurovisão da Canção em 2008 e o seu melhor resultado é um vigésimo quatro lugar na final: em 2014, com Valentina Monetta e a canção “Maybe”, e um total de 14 pontos. Em 2017 o país foi representado por Valentina Moneta & Jimmie Wilson e a canção “Spirit of the Night”, alcançando o 18º lugar na segunda semifinal com um total de 1 ponto.

Recorde Valentina Moneta e Jimmie Wilson:



Fonte e Imagem: ESCToday/ Vídeo: Eurovision.tv

São Marino: divulgado comunicado sobre votações fraudulentas

por dezembro 11, 2017


A produção do 1 in 360, programa que pretende selecionar o próximo representante de São Marino para o Festival Eurovisão da Canção (ESC), divulgou um comunicado que pretende esclarecer o método de votação online para a atribuição do segundo wildcard. 

 A organização da seletiva de São Marino divulgou um comunicado que pretende esclarecer o método de votação online, em especial para o segundo wildcard. Em causa estava o facto de algumas candidaturas receberem um número muito elevado de votos num curto espaço de tempo, levando a que alguns fãs da competição acusassem o respetivo candidato de compra de votos. 

Em resposta a isso, a produção do concurso publicou este comunicado na sua página oficial do facebook:

"Recebemos vários emails de fãs acusando o 1in360 de fraude em conexão com o processo de escolha do segundo wildcard. Esses mesmos fãs apresentaram alguns candidatos em específico que ganharam dezenas de milhares de votos num curto espaço de tempo. Agradecemos as vossas suspeitas.
De forma a regularizar a situação, pedimos a cada um dos fãs que, ao votar, pague uma quantia simbólica pelo seu voto. Assim, pretende-se prevenir os atos fraudulentos, tornando-os muito mais caros para quem os praticar. No final, o que pretendemos é ser o mais inclusivos que for possível.
O que nós podemos fazer, enquanto organizadores, é muito pouco para prevenir a fraude que é praticada nas plataformas de votação gratuitas online. Esses mesmos participantes que receberam muitos votos, no mesmo dia também receberam muitas visualizações nos seus canais do youtube. Isto mostra o quão difícil é a gestão destas políticas.
Enquanto tecnicamente é possível identificar muitos dos votos que vieram do mesmo endereço de IP, no final torna-se muito difícil distinguir entre comprou os votos, ou não, pois isso é uma coisa muito fácil de fazer.
Estamos totalmente consciente de que é uma questão que não conseguimos controlar, pois trata-se de um voto baseado pela internet. É por isso que decidimos usar então diferentes mecanismos de votação, incluindo o voto do clube de fãs (OGAE), um wildcard atribuído pelo povo de São Marino, assim como o voto de um jurado. Estes métodos atribuirão a passagem dos restantes sete candidatos a concurso. 
Tenham em consideração que o que estamos a fazer primeiramente é a procura do "candidato pela internet". Dadas as circunstâncias, é natural que este tipo de coisas aconteçam, uma vez que nos estamos a basear em dados da internet, com todas as coisas boas e más que isso implica.
Se alguém se opuser a esses resultados, terão muitas oportunidades para tentar revertê-los durante as galas ao vivo.
Enquanto isso, agradecemos que dêem a todos os candidatos a oportunidade de concorrerem justamente."

A votação online para a atribuição do segundo wildcard já encerrou. O primeiro wildcard foi atribuído à finlandesa Emma Sandström. A esta juntarão-se mais oito candidatos para participar nas galas ao vivo, de onde sairá o representante de São Marino para representar o país em maio de 2018, em Lisboa. 

Recorde-se que São Marino participou na edição do ESC, em Kiev, em maio de 2017, onde foi representado por Valentina Monetta & Jimmie Wilson, com a canção "Spirit of the night", e onde alcançaram o 18º lugar, com 1 ponto, na segunda semi-final. 

Recorde em baixo a participação de São Marino no ESC 2017:



Fonte: ESC Today / Vídeo: Eurovision

EYD: concurso será transmitido pela RTP2

por dezembro 11, 2017

O Festival Eurovisão de Jovens Bailarinos (EYD) será transmitido em diferido no próximo sábado, dia 16 de dezembro de 2017, pelas 22h05 (hora de Lisboa), na RTP2.
´
O concurso que elege o melhor bailarino da Europa terá lugar no próximo sábado, dia 16 de dezembro de 2017, na capital da República Checa, a cidade de Praga. Apesar de ser em diferido, a RTP transmitirá o evento através do canal RTP2 pelas 22h05 (hora de Lisboa) e contará com a participação de Margarida Mercês de Melo (apresentadora do Festival RTP da Canção de 1985 e 1993) e de Luís Moreira (antigo bailarino da Companhia Nacional de Bailado), como comentadores.

Após seis anos de ausência, Portugal estará este ano representado na competição por Raquel Fidalgo. A bailarina, natural de Lisboa e a trabalhar atualmente na Companhia Nacional de Bailado,  começou a dançar aos cinco anos de idade, tendo entrado na Escola Nacional de Bailado aos dez anos de idade e participado em várias competições europeias. 


O Festival Eurovisão de Jovens Bailarinos é um concurso bianual, organizado pela EBU/UER. A sua primeira edição ocorreu em 1985, contando já com 13 edições.
Portugal apenas participou três vezes, contudo nenhuma das participações chegou à Superfinal, evento que decide quem vence o concurso. 

Fonte: ESCPortugal /Imagem/Vídeo: EYD

ESComics - Historial

por dezembro 10, 2017

ESCOMICS
RUBRICA DE ANDREIA VALENTE
01/11/2017 - 06/12/2017

Anúncio oficial: [AQUI]

Versão em Português: [AQUI]
English Version: [AQUI]




Com tecnologia do Blogger.